• Pedro Lobato Moura

O deus que derrete

segundo o pajé, o universo se sustenta em três deuses, o papel, o lápis e a borracha.

a gente normal cultua o lápis, criador de todas as formas, traçador de todos os destinos.

nós, loucos, somos devotos da borracha. da borra. da borrasca.

a nada nos opomos, tradição ou invenção, vida e morte - apenas passamos dançando e apagando as linhas.

que diremos sobre o cansaço do papel? o lápis acusa o esforço inútil da borracha, ficam as marcas, ficam as marcas...

a borracha esgarça o próprio mito do papel.

a professora vem e carinhosa, sobre meu ombro explica, o segredo é escrever de levinho


13 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo